banner 2 globo esporte (branco).png
banner 1 globo esporte (branco).png

A arbitragem e o clima entre Warriors e Rockets

Nos playoffs, juízes sofrem para lidar com rivalidade entre dois grandes postulantes ao título.


Em qualquer confronto esportivo decisivo, as emoções estão à flor da pele. Começa no clima do estádio, invade a torcida até entrar em quadra com os jogadores. No caso da NBA, entre dribles, arremessos e enterradas, os ânimos tendem a se exaltar, seja com uma falta claramente intencional ou até um esbarrão sem querer. Isso vale para inúmeros jogos, mas a série entre Houston Rockets e Golden State Warriors não poderia resumir melhor o que foi exemplificado acima. E nas circunstâncias atuais do embate entre as duas melhores franquias atuais da Conferência Oeste, esse nervosismo transcende os atletas e acaba criando um novo protagonista para o jogo: a arbitragem.


A série, atualmente em 2 a 0 para os Warriors, já começou recheada de polêmicas. O treinador de Houston, Mike D'Antoni, disse que no intervalo do primeiro jogo a equipe de arbitragem assumiu a culpa por algumas marcações erradas em quadra. "Eles acabaram de chegar no intervalo e disseram que erraram", afirmou o técnico. A declaração de D'Antoni foi corroborada pelo astro dos Rockets, James Harden, ao fim do tempo regulamentar. "Me disseram a mesma coisa no intervalo. Provavelmente isso aconteceu mais algumas vezes no segundo tempo. Assim, eu só quero oportunidades justas, cara". As declarações ganham ainda mais peso pela primeira partida ter tido um total de quatro faltas técnicas e uma expulsão.


P.J. Tucker marca Kevin Durant: a rivalidade entre Rockets e Warriors tem sido inflamada. (Divulgação/NBA)

Mas essa rixa entre os times e os árbitros não vem de agora. Jogar contra a equipe número um da conferência e, para muitos, a melhor da liga nos últimos anos, sempre levanta sobrancelhas sobre favorecimentos. Na última segunda-feira (29) os Rockets redigiram um memorando a ser enviado para Byron Spruell, presidente de operações da NBA. Entre outras coisas, o memorando dizia que na final da Conferência Oeste de 2018, os erros de marcação foram decisivos para a derrota de Houston, contabilizando 86 erros a favor de Golden State. "A arbitragem possivelmente mudou o eventual campeão da NBA. Não pode existir resultado pior para a NBA", dizia o memorando, que acabou não sendo enviado para Spruell, mas lido em uma reunião interna com membros da direção da liga. O documento foi obtido pela ESPN americana e divulgado logo em seguida.


Do outro lado, as reclamações acabam soando como pura falta de espírito esportivo. O ala-pivô dos Warriors, Draymond Green, não acha que Harden esteja sendo honesto nas reclamações. "Quando você sobe para o arremesso e cai um metro para frente, não é problema meu. Já sofri uma falta de James em um lance que ele tentou um arremesso de três pontos", disse. O lance em questão foi contestado com veemência por Harden, que chegou a comparar com algo similar que ocorreu com Kawhi Leonard nos playoffs de 2017: o jogador, então no San Antonio Spurs, sofreu uma falta de invasão de espaço pessoal em um arremesso de três pontos e se lesionou, ficando de fora do restante da temporada.


As equipes chegaram ao segundo jogo com um clima de menos reclamação, mas muitas faltas pesadas voltaram a acontecer, com muita omissão da arbitragem. O jogo mais antecipado do Oeste acaba se tornando um dos mais feios de assistir, por pura inaptidão de quem deveria controlar o jogo. Para os fãs, resta torcer para que nas partidas em Houston a situação mude. E que a própria NBA possa tomar medidas que não prejudiquem o esporte nem os atletas.

 

#NBA #Análise


#Basquete #Playoffs #ConferênciaOeste #HoustonRockets #GoldenStateWarriors #Rivalidade #Transparência #Arbitragem