banner 2 globo esporte (branco).png
banner 1 globo esporte (branco).png

Finta #4: os vários Brasis e suas circunstâncias

País quebra recorde negativo de Covid-19 e futebol vai dos amistosos até as grandes decisões.


O NesF curtiu tentar "prever o futuro" com você por um tempo. Só que a melhor fase da brincadeira foi olhar um pouco para o passado recente e tentar diagnosticar os cenários para os jogos que viriam pela frente. Mais do que um "tabelão", a montagem de um mosaico da semana no futebol brasileiro e mundial, com aquela puxada de sardinha para o futebol paraense, sempre que possível. Foi neste espírito que o quadro nasceu (e já foi até ampliado). Aqui, você pode dar uma finta na cobertura diária e repetitiva, em busca de um cenário mais amplo, além dos resultados, baseado principalmente em números, detalhes importantes fora de campo e um pouco daquelas bizarrices que só o futebol proporciona. Então vem tentar fazer sentido dessas idas e vindas, na gangorra infinita que é o esporte. Abaixo, os destaques do NesF para a última semana, de 23 a 29 de julho de 2020:


No dia com mais diagnósticos de coronavírus no Brasil, o time de Fernando Diniz foi derrotado pelo Mirassol. (Rubens Chiri/São Paulo FC)


O cenário atual

O momento do futebol nacional é bizarro, com clubes disputando amistosos e jogos-treino enquanto outros jogam mata-matas competitivos e fazem disputas de pênalti dramáticas. Jogos dando prejuízo aos clubes, times tentando jogadas publicitárias, como o Rio Branco/AC contratar o goleiro Bruno – e imediatamente perder seu único patrocínio e a treinadora do time feminino. Mas aos poucos, todos os estaduais ou se planejam para o fim do ano, ou voltam; inclusive o Catarinense, quase cancelado.


A ciranda do Paulista

Mirassol perdeu 18 atletas na parada, quatro titulares. Os quatro foram para a Ponte Preta, que bateu o próprio Mirassol para escapar do rebaixamento e ainda se classificar ao mata-mata. Mesmo assim, contratou às pressas, incluindo o artilheiro Zé Roberto (que só fez um treino) e venceu nas quartas o São Paulo, que havia eliminado o Guarani, que venceu o Ituano acertando 11 pênaltis, no Troféu do Interior, lembrando decisão contra o Sport em 1987. O velho rival tenta não cair no Pernambucano.


Todo mundo mal, menos a base

Aliás, grandes campanhas na primeira fase têm significado pouco no estadual paulista. O Palmeiras convive com desfalques, mas assim como o Santos, passou sem vencer times de Série A. Do outro lado da tabela, o primeiro gol profissional de Gabriel Barros, atacante de 19 anos, foi justamente o gol que salvou o Ituano da queda para a Série A2, para emoção do menino. Base também é acionada por times no país todo, como o próprio Carajás, que vai terminar o Parazão com time quase sub-20.


As pendências do Gaúcho

Internacional precisou caçar estádio para jogar contra o Aimoré, antes de escolher CT da base. Jogo em CT virou normal no Gaúcho, que segue sem partidas em Porto Alegre. A primeira fase terminou, mesmo com um jogo ainda não realizado: o clássico Bra-Pel, da quarta rodada do segundo turno, já foi adiado inúmeras vezes. Ele terá pouca relevância, porém, já que o Brasil não se classifica mais e o Pelotas não cai, pois não haverá rebaixamento. Grêmio e Inter ainda tentam semifinal na capital...


...ao contrário de Minas

Só os estádios de Belo Horizonte recebem semifinais do Mineiro, onde protocolo aparentemente é só sugestão; não há punição por descumpri-lo... Atacante Angulo estreou já se despedindo do Cruzeiro, chamado de volta pelo Palmeiras, que o emprestava. Técnico Enderson Moreira também só estreou após meses, mas não conseguiu classificar o time. Atlético/MG é um dos times que, enfim, começa a abrir canais para perguntas dos jornalistas na pandemia, ao invés de via assessoria. Ponto positivo.


A estranheza do vírus e a Lampions

Gregore e Marco Antônio, do Bahia, tiveram Covid-19 há semanas, depois testaram negativo, agora positivo de novo. O time foi à final do Nordestão, diante do Ceará, que tirou o Fortaleza de Rogério Ceni. O time têm boa sequência, mas derrota no clássico manteve tabu de 19 anos pela competição. Numa das quartas, o lateral Silva, do Confiança, jogou com o Santa Cruz e converteu pênalti pouco depois da morte do pai. No Maranhão, um pouco de atenção aos esportes olímpicos, que devem voltar.


Decepções, brecha e boa notícia

O Atlético/PB, por exemplo, foi líder do Paraibano por quase toda a primeira fase, mas na reta final, ficou de fora do mata-mata. Na Bahia, o Vitória ficou fora do mata-mata pelo segundo ano seguido. Enquanto isso, o Athletico/PR segue registrando jogadores, mesmo punido, por bizarrice do Brasil: a punição da FIFA fala em "janela de transferência", algo que tecnicamente não existe no país. Por outro lado, algo a ser comemorado: Brasileiro feminino de 2020, enfim, terá um patrocínio master.


Além disso...

Ajuda da FIFA dá à CBF o direito de receber 1 milhão de dólares (mais de 5 milhões de reais), além de 500 mil (mais de 2,5 milhões de reais) para o futebol feminino. Há também uma linha de crédito sem juros de até 5 milhões (mais de 25 milhões de reais) ou até 35% da arrecadação. Aparentemente há busca de informações sobre as estruturas dos clubes, na base e no feminino. Algumas equipes já já se apresentam e fazem testes. Iranduba é um que vive séria crise, perde jogadoras e deve salários.


 

#Brasil #Mundo #Análise


#Curiosidades #Dicas #Curtinhas #RioBranco #GoleiroBruno #CampeonatoCatarinense #Mirassol #CampeonatoPaulista #SãoPaulo #PontePreta #Guarani #Palmeiras #Santos #Ituano #CampeonatoGaúcho #Internacional #Grêmio #BraPel #CampeonatoMineiro #Cruzeiro #AtléticoMG #Bahia #CopadoNordeste #Vitória #Ceará #Fortaleza #CampeonatoBaiano #EsportesOlímpicos #Maranhão #CampeonatoParaibano #AthleticoPR #FutebolFeminino #FIFA #CBF #Coronavírus #Covid19 #Pandemia