banner 2 globo esporte (branco).png
banner 1 globo esporte (branco).png

Há 30 anos, a primeira competição do Paraná Clube

Em 1990, após várias fusões, tricolor iniciava campanha de tragédia e longa invencibilidade.


O terceiro maior campeão do Paraná, atrás de Coritiba e Athletico, é o extinto Ferroviário, com oito taças. Outras agremiações que não existem mais, o Britânia (sete títulos) e o Palestra Itália (três), se fundiram justamente com o Ferroviário, dono da Vila Capanema, para virar o Colorado, em 1971. O novo clube também levou taça estadual. Do outro lado, história do Savoia teve incorporações, nome mudado por conta da II Guerra e uma taça como Água Verde, antes de se tornar Pinheiros, em 1971. O novo clube, claro, ganhou mais dois títulos. À essa altura, você já deve ter percebido que estamos fazendo uma árvore genealógica. Os dois times "nascidos" em 1971, Colorado e Pinheiros, viveram nova fusão: em dezembro de 1989, passaram a formar o Paraná Clube, que por sua vez ganhou sete vezes o Paranaense; incluindo pentacampeonato seguido, nos anos 1990. Somando todas as taças da genealogia, o tricolor teria 29 títulos estaduais.


Mesmo se fossem adicionadas ao rol do Athletico as duas taças de América e Internacional, os times que criaram o rubro-negro, ainda assim o Paraná Clube turbinado teria duas conquistas a mais que o rival: 29 contra 27. O Coxa, claro, seguiria com suas 38. E isso porque os títulos são apenas parte da rica história do Paraná Clube, mas mostram de forma clara como o tricolor, mesmo com só 30 anos, está no DNA do esporte paranaense e nacional. Fundação atual do clube pode ter sido em 1989, mas a tradição vem, no mínimo, desde 1914. E a nova equipe nasceu vitoriosa, fazendo ótima campanha na Série C de 1990 (para onde nunca mais voltou) e também na Série B de 1991. O primeiro torneio disputado pelo tricolor, porém, foi o Campeonato Paranaense de 1990, em que foi semifinalista. Em 7 de julho de 1990, há exatos 30 anos, o Paraná vencia o Batel por 2 a 0, rumo a retrospecto invicto na segunda fase, que levou o time ao mata-mata.


Vágner Bacharel, o capitão paranista, em imagem do primeiro clássico contra o Coritiba, em 1990. (Divulgação/Coritiba FC)

Foram duas vitórias e quatro empates no Grupo Amarelo, que tinha Athletico e Londrina. Só que os times jogavam contra os clubes do Grupo Verde, de Coritiba e Operário. Após perder os dois dérbis na primeira fase, o tricolor segurou inclusive o Coxa, na rodada final, garantindo a classificação. Na fase anterior, também houve divisão por grupos: o Paraná ficou no Azul, de Coritiba e Londrina, só que enfrentou todos os times, inclusive os da chave Branca, que tinha Athletico e Operário. Os altos da campanha foram goleadas sobre o Paranavaí (9 a 1) e Platinense (6 a 0), mas os clássicos foram as únicas derrotas. Seis dos 11 participantes de cada grupo se qualificavam para a nova fase de grupos, onde, desta vez, só passavam dois de cada; os semifinalistas. Apesar da queda para o Coritiba, após duas derrotas, o Paraná logo iniciou campanha no quadrangular qualificatório para a Série C, sendo campeão e privando o Londrina de vaga nacional.


A campanha do Tricolor no Paranaense 1990 teve 29 jogos. Foram 12 vitórias, 13 empates e 4 derrotas, com 43 gols marcados e 19 sofridos. O time-base era: Ademir Maria; Heraldo, Ariomar, Servílio, Ednélson; Roberto Alves, Adoílson, Marquinhos Benatto; Sérgio Luiz, Maurílio, Arizinho. Téc.: Rubens Minelli.

A rota do Paraná para ser um dos maiores clubes do estado não teve início em 1989 ou 1990, mas lá no começo do século, na construção de uma história que nem se sabia que seria do Paraná Clube. O que a campanha estadual – e depois nacional – do ano de 1990 fez foi abrir um caminho que já seria vitorioso nos anos seguintes, com títulos (incluindo a Série B de 1992) e até disputas internacionais. E isso sim, começou no estadual de 1990. O time de Rubens Minelli jogou por seu capitão, Vágner Bacharel, que morreu durante a campanha, dias após choque de cabeças em partida contra o Campo Mourão. Aquele campeonato entrou para a história, como Vágner. E lembra daquela vitória em 7 de julho de 1990, há exatos 30 anos? Tecnicamente, foi naquele 2 a 0 sobre o Batel que o Paraná Clube recebeu a primeira "taça". A Taça dos Invictos, entregue pela Federação Paranaense para reconhecer os 19 jogos sem derrota do time no campeonato.

 

#Brasil #História


#Origens #Fusões #ParanáClube #Torcida #Clássicos #Regulamento #Rivalidade #Estádios #GrandesCampanhas #Estaduais #CampeonatoParanaense #VágnerBacharel #JogadoresHistóricos #RubensMinelli #Técnicos #FutebolNacional #FutebolBrasileiro