banner 2 globo esporte (branco).png
banner 1 globo esporte (branco).png

Melvin Gordon volta aos campos para se provar

Sem novo acordo, corredor dos Chargers cede, encerra greve e terá 12 jogos para tentar voar.


Você pode até não saber, eu mesmo não sabia, mas algo histórico ocorreu na NFL nesta semana. Na última quarta-feira (25), o running back Melvin Gordon acabou com sua greve e deve reintegrar o elenco do Los Angeles Chargers. Até o momento do anúncio, Gordon protagonizava o maior período em greve de um jogador profissional de futebol americano. Infelizmente para ele, não teve o impacto desejado.


Tudo bem, esta mesma coluna tocou no assunto de seu holdout (quando um jogador se recusa a aparecer para treinos e jogos) quando analisamos o momento de negociação dos clubes com corredores de elite, como Gordon e Ezekiel Elliott. Para o azar de Gordon, entretanto, os Chargers não sentiram tanta falta. O jogo terrestre funcionou nas primeiras rodadas do campeonato, efetivamente tirando, inadvertidamente, o poder de barganha da estrela do time. Sem ter seus desejos atendidos, o jogador volta a integrar o elenco, na quarta semana da temporada.


No último ano do atual contrato, Melvin receberá um salário-base de 5,6 milhões de dólares. Durante as negociações, o clube chegou a oferecer um acréscimo que faria com que ele recebesse 10 milhões em 2019, algo que não agradou o atleta. Insatisfeito com o 27º maior salário da posição, que o deixava atrás de profissionais como Mike Davis, Rex Burkhead, Chris Thompson e Dion Lewis, Gordon aguardou uma proposta maior de seus empregadores, que prontamente o liberaram para buscar uma troca.


Melvin Gordon carrega a bola pelos Chargers. (Divulgação/Los Angeles Chargers)

A volta aos gramados, no fim das contas, pode ser positiva para os dois lados da história. Como não tem contrato ativo para 2020, chegou a hora do running back voltar a mostrar seu valor, seja para outras equipes ou até mesmo para os próprios Chargers. O time de Los Angeles, por sua vez, é o 13º da liga em jogo corrido até aqui, com as jogadas terrestres sendo lideradas por Austin Ekeler (com 160 jardas) e Justin Jackson (142).


No ano passado, Gordon acumulou 885 jardas corridas em apenas 12 jogos, a mesma quantidade que pode alcançar neste ano, além de 1.375 jardas totais e 14 touchdowns. Foi uma baita temporada. Além disso, é o segundo corredor com mais toques na bola desde 2015, perdendo apenas para Todd Gurley, do conterrâneo Los Angeles Rams.


Mesmo com sua reapresentação ao clube, Melvin ainda não deve jogar na quarta rodada, contra o Miami Dolphins. Seu retorno como ocorre somente na quinta rodada, diante do Denver Broncos. Enquanto isso, após encerrar o holdout, Gordon deixou o recorde de maior tempo parado por opção própria para Trent Williamsleft tackle do Washington Redskins. Mas aí eu mesmo duvido que ele vá merecer um texto quando sua greve acabar...

 

#Mundo #NFL #Bastidores


#FutebolAmericano #MelvinGordon #Regras #MercadodaBola #CifrasdoEsporte #Calendário #Greve