banner 2 globo esporte (branco).png
banner 1 globo esporte (branco).png

O cenário dos clássicos no eixo Rio-São Paulo

Paradigmas do passado são desafiados e podem moldar as novas soberanias do futuro.


Neste sábado (2), os dois principais estaduais do país terão, pela segunda rodada consecutiva, clássicos entre alguns de seus grandes clubes. No último fim de semana, o Flamengo venceu o Botafogo por 2 a 1, enquanto o Santos bateu o São Paulo por 2 a 0. Desta vez, Vasco e Fluminense se encontram pelo Campeonato Carioca; já no Paulista, é a vez de Palmeiras e Corinthians. Invariavelmente, jogos deste calibre são o grande destaque dos estaduais. O Brasil é um país farto de grandes rivalidades e diversas delas já viveram o primeiro round de 2019, como ABC vs América/RN, Atlético/MG vs Cruzeiro, Avaí vs Figueirense e Náutico vs Sport. Especificamente no eixo Rio-São Paulo, entretanto, tem ocorrido nos últimos anos uma mudança de paradigma nos números dos grandes clássicos.


O Rio de Janeiro, há muito tempo, é uma perfeita "escadinha". O Flamengo possui saldo positivo contra todos os rivais, o Vasco se sobressai diante dos outros dois, o Fluminense apenas sobre o Botafogo e o Fogão... Sobre ninguém. Mas mesmo assim, uma mudança ocorre lentamente. Desde 2013, o Glorioso saiu por cima do Clássico Vovô em quase o dobro das oportunidades que o Flu. Nos últimos 22 jogos, foram 11 vitórias do Botafogo. Nos últimos 14, foram 7. Com razoável consistência no confronto direto, o Fogão tem diminuído substancialmente a vantagem do Tricolor. Nas cinco partidas mais recentes, porém, o Fluminense ensaiou uma recuperação: 3 vitórias em 5 jogos. Atualmente, a diferença está em 9 triunfos. Ainda é muito, mas o Fogo pode olhar justamente para São Paulo e ver exemplos de como superar essa distância.


Ao contrário dos cariocas, os clássicos paulistas há tempos são uma salada mista: o Corinthians vence mais o São Paulo, que vence mais o Palmeiras, que vence mais o Corinthians; e todos batem no Santos. E no início da década, o Verdão já chegou a ter quase 10 jogos de dianteira no confronto direto contra o Timão. Lentamente, no entanto, o Corinthians foi tirando a diferença. Nos últimos anos, chegou a empatar o tira-teima diversas vezes – mas na partida seguinte, o Alviverde sempre voltava ao topo. No jogo deste fim de semana, a contagem pode ficar igual novamente. E algo parecido ocorre entre o Palmeiras e o São Paulo, só que de forma muito mais veloz. Em menos de 5 anos, o Porco dizimou a vantagem do Tricolor, com incríveis 9 vitórias em 12 jogos. E agora, tanto Corinthians quanto Palmeiras se veem muito perto da coroa de "Rei dos Clássicos" em São Paulo. Abaixo, os saldos de vitórias de cada clube nos confrontos diretos diante de seus rivais:


Corinthians

vs Santos: +24

vs São Paulo: +23

vs Palmeiras: -1


Palmeiras

vs Santos: +32

vs Corinthians: +1

vs São Paulo: -1


São Paulo

vs Santos: +28

vs Palmeiras: +1

vs Corinthians: -23


Santos

vs Corinthians: -24

vs São Paulo: -28

vs Palmeiras: -32


Luan, do Palmeiras, tenta desarmar Roger, do Corinthians, no último clássico entre as equipes: a vitória do Verdão por 1 a 0, pela Série A, recolocou o time no comando do Dérbi Paulista. (Cesar Greco/SE Palmeiras)

Flamengo

vs Botafogo: +22

vs Fluminense: +21

vs Vasco: +13


Vasco

vs Botafogo: +52

vs Fluminense: +25

vs Flamengo: -13


Fluminense

vs Botafogo: +9

vs Vasco: -25

vs Flamengo: -21


Botafogo

vs Fluminense: -9

vs Flamengo: -22

vs Vasco: -52


Além do cenário mais geral, é interessante ver as especificidades dos números. A hegemonia do Vasco sobre o Botafogo, por exemplo, é impressionante. Assim como o domínio quase uniforme do Trio de Ferro diante do Santos, com uma média perfeita de 28 jogos no saldo do revés santista contra seus rivais. Isso tudo, é claro, dentro das estatísticas disponíveis – até por isso, o NesF preferiu focar nas diferenças entre os clubes, não nos números totais. No clássico entre Botafogo e Fluminense, por exemplo, há disparidade no histórico de acordo com os clubes e com diferentes pesquisadores, em especial no que tange partidas amistosas. Ainda assim, o saldo de vitórias se mantinha o mesmo. De fato, em muitos casos, é difícil precisar alguns números. Mas no futuro, o NesF pretende mergulhar de cabeça na numerologia de muitos outros clássicos ao redor do Brasil e do Mundo.


 

#Brasil #História #Estatísticas


#CampeonatosEstaduais #Clássicos #CampeonatoPaulista #CampeonatoCarioca #Corinthians #Palmeiras #SãoPaulo #Santos #Flamengo #Vasco #Fluminense #Botafogo